https://atualiza.acicampinas.com.br/ADMblog/thumbs/574..png
Associação Comercial
Associação Comercial

Comércio de SP deve ter o melhor Dia dos Pais desde 2015

Vendas devem chegar a R$ 2,15 bilhões, puxadas pelo setor de roupas e calçados, um dos que mais sofreram com a pandemia, de acordo com a CNC. - FONTE: JORNAL DAS ASSOCIAÇÕES COMERCIAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO

O faturamento do comércio paulista com o Dia dos Pais deve chegar a R$ 2,15 bilhões, o melhor resultado desde 2015, de acordo com a CNC (Confederação Nacional do Comércio).

Este valor representa 35,6% da venda em todo o país (R$ 6,3 bilhões) e um crescimento de 9,8% sobre o número de 2020 (R$ 1,96 bilhão) e de 7,5% sobre o de 2019 (R$ 2 bilhões).

Para alívio dos lojistas, um dos setores que mais sofreram com a pandemia, o de vestuário, deve ter o melhor desempenho neste Dia dos Pais.

A expectativa da CNC é que as vendas de roupas e calçados somem R$ 795,6 milhões, com participação de 37% de todo o faturamento do comércio no Estado de São Paulo.

O setor eletroeletrônico e utilidades domésticas aparece em segundo lugar, com 18% de participação, seguido do de farmácia, perfumaria e cosméticos, com 13%.

Este volume de vendas estimado pela CNC deve estar concentrado nesta primeira semana de agosto, de acordo com Fabio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio.

O avanço da vacinação contra a covid-19 e a redução das restrições para a abertura do comércio são os dois principais motivos da expansão de vendas para este Dia dos Pais.

De abril até o final de julho, a circulação de pessoas aumentou 39%, de acordo com Bentes.

O comércio já está há meses, portanto, em processo de recuperação. De dez setores, seis já estão faturando mais do que no ano passado.

O crescimento de vendas também ocorre no e-commerce. De janeiro a maio deste ano, o volume de vendas on-line subiu 47%, de acordo com Bentes.

ROUPAS E CALÇADOS

 

Depois de enfrentar o pior período de vendas para o Dia dos Pais da história, em 2020, o comércio de vestuário deve registrar melhor desempenho desde 2018.

Bentes lembra que, se a taxa de desemprego, quase perto de 15%, não estivesse tão alta, e a inflação, mais controlada, os números seriam ainda melhores.

“Os volumes de vendas poderiam já estar parecidos com os de antes da recessão de 2015 e 2016”, diz ele.

Em 2013, as vendas para o Dia dos Pais em São Paulo atingiram R$ 2,64 bilhões.

“Deve levar ainda uns dois ou três anos para o comércio paulista atingir este número. E isso se o país não encontrar uma casca de banana pelo meio do caminho.”

INTENÇÃO DE COMPRAS

Levantamento realizado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostrou a intenção dos consumidores de presentear os pais, principalmente, com peças do vestuário.

Pouco mais de 44% dos entrevistados citaram roupas e calçados como presentes preferidos para este ano.

Perfumes vieram em segundo lugar, escolhidos por 27,8% dos ouvidos. Veja abaixo os outros itens citados no levantamento da ACSP:

 

IMAGEM: Fátima Fernandes/DC

 

Associação Comercial| comercio, vendas, economia

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados