http://atualiza.acicampinas.com.br/ADMblog/thumbs/52.JPG
Eduardo Vilas Bôas
Eduardo Vilas Bôas
Professor, consultor, blogger e editor do MMdaMODA

Como melhorar o visual merchandising? Entenda em um passo a passo

No último artigo expliquei os níveis de visual merchandising, isto é, algumas das atividades fundamentais que a sua loja pode (ou não) estar trabalhando. E, muito provavelmente, você deve ter se questionado por onde começar a implantação de uma política de visual merchandising.

Pretendo em alguns breves passos te orientar no início da revolução da sua loja. 

Primeiro, identifique o perfil do seu público-alvo de forma clara. Essas informações vão direcionar todos os recursos mais relevantes e efetivos do seu projeto tais como temas, cartela de cores, materiais compositivos, objetos decorativos e demais estímulos de comunicação e ambientação. Na prática você não pode optar pelo laranja sem ter a certeza que o seu cliente gosta dessa cor e o seu significado para a marca. Para isso, é preciso fazer uma investigação direta e profunda com o público, tanto através da observação como da abordagem. 

É preciso também conhecer o seu mix de produtos quanto as vendas, isto é, faça uma Curva ABC para entender a relevância dos seus itens, marcas e categorias, tenha em mãos também a margem de lucro que cada agrupamento confere, assim, será possível dar o destaque adequado aquilo que é prioritário nas vendas, pois, uma das regras fundamentais de visual merchandising é que “aquilo que não é visto, não é comprado”. 

A partir de um checklist básico de visual merchandising é possível identificar pontos de melhoria na sua loja, por exemplo, coerência na organização dos setores, estimulo para circulação no ponto de venda, exposição valorizada dos produtos, precificação visível, iluminação geral e de destaque, vitrines objetivas e sedutoras e etc. 

Você não deve sozinho identificar esses problemas, portanto, te dou dois caminhos: (I) mantenha uma loja como referência visual e se espelhe nela, mesmo que não seja sua concorrente direta; (II) se você não pode contratar um profissional de visual merchandising para auxiliá-lo, peça a ajuda de pessoas críticas e que não conheçam muito bem o seu negócio, assim evitam-se vícios e costumes de quem já está habituado à loja, mas esteja aberto para ouvir sugestões de melhoria e, ao mesmo tempo, avalie criteriosamente cada contribuição. 

Após coletar essas informações todas é o momento de organizar o que é possível de ser implantado e o que prioritário caso exija investimentos. Para isso, faça um estudo teórico utilizando-se de uma planta baixa da loja. Redesenhe seu ponto de vendas, reposicione equipamentos, redimensione setores, correlaciona produtos, teste novas cores, estabeleça corredores de circulação, crie pontos de atração visual. 

Após certificar-se das melhores escolhas, é hora de implantar as melhorias. Se você tem uma rede de lojas, faça essa mudança gradativamente, não apenas pela questão de custo, mas para certificar-se que cada alteração realmente vai impactar positivamente na atmosfera de loja e nas vendas.  Alterações simplesmente estéticas são importantes, mas as funcionais é que reverterão diretamente em vendas. 


Eduardo Vilas Bôas| Visual-Merchandising, Passo-a-passo, Eduardo-Vilas-Bôas, público-alvo, ACIC

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados