http://atualiza.acicampinas.com.br/ADMblog/thumbs/31.jpg
Marcelo Veras
Marcelo Veras
CEO da Atmo Educação

O que uma crise nos ensina

Na alegria ou na dor, aprendizado

O assunto do dia (e da noite) é a crise econômica pela qual passamos. Os mais esclarecidos sabem porque o Brasil entrou nessa crise e o que precisa fazer para sair dela. Mas a receita é dolorosa. O fundo do poço ainda não chegou e ainda vamos sofrer um pouco mais. Lamentavelmente, os responsáveis pela situação atual do país não assumem seus erros e insistem que trata-se de um fenômeno global, o que é uma grande mentira. Decisões erradas nos trouxeram até aqui e ponto. Mas esse não é foco da minha conversa de hoje. Quero levar a reflexão para outro lado – o que uma crise nos ensina. Você conhece aquele ditado que diz “já que só tenho limão, vou fazer uma limonada”? Pois bem, já que a crise está aí, o que podemos aprender com ela?

Recentemente, eu dava uma entrevista para uma rádio em Campinas e o tema era “a crise e a sua gestão financeira pessoal”. Nesta ocasião, fiz questão de começar a conversa dizendo que crises sempre existiram e sempre irão existir. Quem não se lembra de todas as crises que passamos no Brasil nos últimos 25 anos? Não foram poucas. O ponto principal é que nunca (ou quase nunca) sabemos quando ela vai começar e quando vai terminar. Além disso, fiz uma síntese que, para mim, faz todo sentido: “Qualquer crise, quando chega, encontra preparados e despreparados”. Essa é uma realidade inegável. Há pessoas que sofrem mais e há pessoas que sofrem menos durante uma crise. O tamanho da dor depende do quão preparado você está para enfrentar momentos difíceis.

Em outra reunião recente com líderes empresariais da RMC – Região Metropolitana de Campinas, discutíamos o que cada empresa estava fazendo para minimizar os efeitos da crise econômica. Um deles saiu com uma metáfora fantástica e disse que estava concentrado, naquele momento e na sua empresa, em descobrir ativos inertes. A explicação do que significa “ativos inertes” foi fantástica. Segundo ele, e com toda razão, durante as vacas gordas, poucos se preocupam em melhorar a produtividade, buscar reduções de custos e serem mais eficazes na gestão. É na época de vacas magras que as pessoas, se forem provocadas e motivadas, conseguem usar mais e melhor a sua criatividade para buscar alternativas diferentes e ousadas. Essas pessoas e ideias, segundo ele, são os ativos inertes, ou seja, profissionais com ótimas ideias que brotam em época de maior dificuldade. Achei brilhante. É bem isso: na abundância somos mais displicentes. Na escassez, temos que nos virar para sobreviver, e sempre encontramos formas melhores de administrar recursos escassos.

Portanto, ficam aqui, na minha modesta opinião, uma lista de lições e aprendizados devem estar na nossa mente neste momento:

1. Crises sempre existiram e sempre vão existir. Não adianta achar que é o fim do mundo. Não é. Um dia ela acaba e começa outro momento de vacas gordas;

2. Crises encontram preparados e despreparados. Nos momentos de abundância, nunca gaste tudo o que tem. Guarde sempre recursos para serem usados nestes momentos difíceis;

3. Durante uma crise a melhor postura é a proatividade. Portanto, pare de ficar reclamando dela e faça algo de concreto. Busque formas inovadoras para ajudar a sua empresa a superar o momento;

4. Chame a sua equipe para a responsabilidade. Seja transparente com as pessoas, por pior que seja a situação, e motive todos a ajudarem a buscar soluções que melhorem os resultados da empresa;

5. Avalie de perto a postura de cada pessoa da sua equipe. Uma crise é um ótimo momento para conhecer quem é quem de fato. Há pessoas que crescem e mostram competências fantásticas durante um momento difícil, enquanto há outros que só entregam bons resultados quando a maré está a favor;

6. Fique mais perto da sua equipe. Converse mais, motive mais – tudo isso olho no olho. Reduza a quantidade de e-mails e comunicações impessoais. Durante uma crise, as pessoas precisam de união, apoio e proximidade, não de e-mails e mensagens de Whatsapp.

É isso. A crise vai passar. Pode demorar um pouco, mas vai passar. Enquanto ela não acaba, faça uma coisa nobre – aprenda com ela! Até o próximo.


Marcelo Veras| comportamento, marcelo veras, crise

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados