https://atualiza.acicampinas.com.br/ADMblog/thumbs/372..jpg
Equipe ACIC
Equipe ACIC
Tradicional instituição empresarial de Campinas, fundada em 1920 e com mais de 2.500 empresas associadas, a ACIC apoia o desenvolvimento das empresas por meio de seus 3 pilares para soluções empresariais: Redução de Custos, Oportunidades de Negócios e Educação Empreendedora.

Vendas não podem esperar pelo fim da crise. O pós-covid é agora

Especialistas que participaram do programa SOS Empreendedor, da ACSP, dão dicas de como conduzir os negócios mesmo com o consumo em baixa. FONTE: JORNAL DAS ASSOCIAÇÕES COMERCIAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO

Considerado o principal motor da economia brasileira nos últimos anos, o consumo das famílias registrou, no primeiro trimestre, a maior retração em 19 anos, desde 2001. O índice caiu 2%, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O distanciamento social deixou muitos negócios de fora do radar dos consumidores. Bares, cinemas, academias e outras atividades foram interrompidas. Outros serviços prestados por decoradores e casas de costuras, por exemplo, deixaram de ser atraentes. Inevitavelmente, as vendas caíram, os investimentos foram interrompidos, as produções diminuíram, ao passo que as dívidas e o desemprego cresceram.

No olho do furacão, muitos empresários buscam inspirações para se reinventarem. Confinada há mais de três meses, a empresária e palestrante motivacional Leila Navarro faz parte dessa turma.

“Sempre exercitei a imaginação para prever novos cenários. Mas nunca imaginei algo como o que estamos vivendo”, diz. “Entretanto, quem empreende não pode esperar. O pós-covid é agora”.

Leila foi uma das convidadas do programa SOS Empreendedor, do Fórum de Jovens Empreendedores (FJE) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), na última terça-feira, 9/6, comandado por Alessandra Andrade, vice-presidente de relações com a juventude e inovação da ACSP e gestora do FAAP Business Hub, e Nando Gaspar, coordenador geral do FJE.

São tempos de incertezas, mas uma coisa é certa na opinião de Leila: muitos avanços tecnológicos devem marcar o consumo pós-covid. Para aqueles que sequer estavam presentes nas redes sociais, já não há mais opções.

A empresária destaca que mudanças de comportamento que já estavam em curso há algum tempo, mas que não eram reproduzidas em larga escala, passaram a fazer parte do processo de compra e venda de uma hora para outra. Perfil no Instagram, lives semanais, demonstração de produtos e serviços via internet e compras por videochamada se tornaram tão comuns quanto visitar uma loja física.

Usar a tecnologia para se aproximar de quem está distante se tornou comum também entre os empresários. Leila diz ter estabelecido novas parcerias e resgatado antigos contatos através da internet. “Um mar de oportunidades, um oceano de possibilidades e um universo de incertezas”.

Na tentativa de promover mais vendas e incentivar boas experiências de compra, a empresária alerta os donos dos próprios negócios a não esperar pelo fim da pandemia, a aprenderem a ouvir os clientes, a interagirem com o universo tecnológico, e estarem atentos aos países que já saíram do confinamento – provavelmente, eles nos ditarão o novo normal, na opinião de Leila.

PARCERIAS MULTILATERAIS

Com os recursos financeiros cada vez mais escassos, encontrar alguém que ofereça o que sua empresa precisa, e poder pagar com o que sua empresa produz, pode ser uma boa estratégia, de acordo com Rafael Barbosa, especialista em economia colaborativa, que também participou do SOS Empreendedor. O método, na opinião do especialista, pode funcionar bem por meio de parcerias multilaterais – uma vertente da economia colaborativa.

Definido como um modelo econômico sustentável, Barbosa acredita que à medida que os impactos da pandemia se aprofundarem, as empresas terão na permuta uma forma de promover suas atividades.

O modelo permite que empresas de todos os portes e profissionais liberais ofereçam e busquem os mais variados serviços e produtos em troca de outros num momento em que as empresas estão ociosas, especialmente as que não trabalham com itens essenciais.

“É preciso testar novos modelos de compra e venda. Quando a economia tradicional se retrai, a colaborativa entra em evidência e abre grandes oportunidades. É um bom momento para usar esse tipo de permuta para pagar alguns custos de mídia e ficar relevante no mercado sem sacrificar o caixa”, diz.

 

Com sua imagem associada a diversas marcas, Ciro Bottini, apresentador de vendas, foi um dos convidados do SOS Empreendedor e defende que a venda é a atividade que move qualquer empresa. Mesmo com o distanciamento e muitos comércios funcionando de forma parcial, Bottini acredita que é preciso entregar ao consumidor o mais próximo de uma experiência física. O conselho do especialista é simples: vá para rede.

Fotos, promoções, lembretes, vídeos e lançamentos são alguns dos recursos que ele sugere para manter a audiência interessada no seu negócio - uma comunicação quente tem o poder de dominar a mente do consumidor, argumenta Bottini. A seguir, veja algumas dicas do especialista para esse momento:

- Apaixone-se pelo seu produto
“Seja um apresentador do seu negócio, fale com encanto, entusiasmo, sorrindo, mantenha uma comunicação quente. Isso transmite confiança no produto”

- Esqueça a crise!
“Não fale com seu cliente sobre a crise, polarização política ou notícias ruins. Se ele (cliente) tocar no assunto, mantenha um posicionamento leve com foco num futuro promissor. Seja porta-voz da alegria”

- É barato e todo mundo recebe
“Envie tudo o que puder pelo Whatsapp. Peça ajuda para editar um vídeo, criar um banner ou criar uma foto interessante"

- Ouça seu cliente
“Assim somos capazes de entregar a melhor solução. Faça perguntas, processe as respostas e entregue a solução”

- Daqui a pouco tudo volta ao normal
“Não pense em retomada porque isso significa que você parou. Diversifique seus negócios e suas vendas. Quando quem parou, voltar ao normal, você terá novas atividades para suprir a deficiência do seu negócio principal.” 

FOTO: Fernando Frazão/Agência Brasil

 

VEJA MAIS EM


Equipe ACIC|

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados