https://atualiza.acicampinas.com.br/ADMblog/thumbs/727..jpg
Jornal das Associaçōes Comerciais do Estado de São Paulo
Jornal das Associaçōes Comerciais do Estado de São Paulo

5 opções para simplificar os pagamentos digitais no varejo

Com os consumidores mais exigentes, experiências de compra variadas e mais ágeis passaram a ser um diferencial para o varejo, que tem investido em novos meios de pagamentos

Dinheiro, cartão de crédito e pagamentos à vista ainda são práticas muito comuns no varejo, mas com a atual realidade financeira dos brasileiros, oferecer novas experiências de pagamento é fundamental.

Há diversas opções para inovar nessa área, como aplicativos, cashback, pagamento via PIX, que impulsionam uma grande mudança no setor bancário brasileiro visto que, nos últimos dez anos, o país registrou um aumento na inclusão financeira digital.

Num movimento forçado pela pandemia da covid-19, 85% dos brasileiros agora têm acesso a serviços financeiros - um dos maiores aumentos da bancarização visto em décadas. Esse cenário faz com que os consumidores priorizem experiências de compras cada vez mais ágeis, e por essa razão, faz sentido que as empresas invistam em diferentes meios de pagamentos.

Entusiasta dos pagamentos digitais no varejo, Fabiano Dias, diretor de negócios internacionais da Bitwage, considera que o comércio brasileiro tem reagido bem a essas novidades. Tomando como exemplo o PIX, ele explica que esse será um passo que todas as moedas terão que dar, e o Brasil saiu na frente.

1. A CHEGADA DO PIX

A adoção do Pix é considerada um dos maiores símbolos dessa inclusão por meio de pagamentos digitais. O sistema de pagamento em tempo real lançado em 2020 pelo Banco Central permitiu que mais de 40 milhões de pessoas fizessem sua primeira transferência bancária, de acordo com o BC.

A novidade teve a curva de adoção mais rápida entre todos os sistemas de pagamento em tempo real pesquisados no mundo pelo Banco de Compensações Internacionais. O número de usuários aumentou de 41 milhões para mais de 124 milhões entre novembro de 2020 e março de 2022.

Fabiano Dias explica que a tendência é que as operações cresçam ainda mais com a ampliação das funções com o lançamento do Pix Cobrança, Pix Débito Automático e Pix Parcelado, previstas para este ano. Além disso, a aceitação do Pix em estabelecimentos comerciais vem superando a dos cartões de débito e rivalizando com a dos boletos bancários.

2. CÓDIGOS DE RESPOSTA RÁPIDA

Nesse rol de métodos de pagamento diferenciados e sem contato, o QR Code (Quick Response Code) permite, entre outras funções, fazer pagamentos. Numa espécie de código de barras em imagem que armazena informações, o QR Code pode ser lido por qualquer dispositivo móvel que possua uma câmera, sendo assim de fácil acesso para consumidores.

Diversas carteiras digitais, inclusive, já disponibilizam o leitor em seu próprio aplicativo. Além disso, Dias aponta que com o QR Code tudo se torna mais prático e o consumidor não precisa andar com carteira.

“Está tudo no celular e é muito mais seguro com os procedimentos de segurança corretos. Não precisa andar com cartão, documento, e você deleta tudo do aparelho em segundos se precisar, e sem transtornos”, diz.

3. CARTEIRAS DIGITAIS

Os números mostram que o uso das carteiras digitais deve ajudar a impulsionar os setores em 2022. Segundo o relatório The Global Payments Reports, essa opção cresceu 43,5% em resposta à pandemia, somente na América Latina.

A previsão da Bain & Company é de que em 2022 as carteiras digitais representem 28% do mercado de pagamentos mundial e 47% dos pagamentos em e-commerce. O serviço deve crescer ainda mais neste ano com a adoção do Open Banking pelo Banco Central.

Apesar de um melhor controle de suas finanças, Dias destaca que as carteiras digitais trazem um entrave para o lojista. Treinar o time de ponto de venda, ou seja, caixas e entregadores, pode ser um tanto complexo no início, mas em pouco tempo trará inúmeras vantagens, como liberdade, velocidade, privacidade etc.

4. CASHBACK

Mais do que facilitar um pagamento, a disponibilização de cashback contribui para a fidelização de clientes, pois se trata de uma forma de agradar e beneficiar o consumidor sem precisar alterar o valor de nenhum produto.

Mais popular no e-commerce, o serviço já é adotado por algumas lojas físicas, de modo que o percentual do valor que retornará ao consumidor pode ser calculado de acordo com as condições de cada negócio.

5. TOKENIZAÇÃO E SEGURANÇA DIGITAL

Muito importante para a segurança de quem compra, a tokenização contribui para a imagem de uma empresa com um bom sistema de segurança, especialmente para o e-commerce. A exibição de certificados de segurança transmite confiabilidade, pois trata-se de um processo de segurança realizado para proteger as informações sensíveis dos clientes que fazem uma transação on-line.

Em resumo, os números do cartão de crédito são substituídos por letras e números, gerados de forma aleatória. Embaralhados, esse código não faz sentido para hackers e fraudadores que tentem se apossar deles. Essa camada extra de segurança pode reduzir ou até eliminar os riscos desse tipo de operação.


Jornal das Associaçōes Comerciais do Estado de São Paulo |

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados