http://atualiza.acicampinas.com.br/ADMblog/thumbs/144.jpg
Laerte Martins
Laerte Martins
Economista da ACIC

Vendas de dezembro de 2017 se expandem frente a dezembro passado

As vendas varejistas fecharam no azul em Campinas, 2,31%, e na RMC, em 1,86%

O poder de compra dos consumidores, no final de 21017, foi impulsionado por uma melhora conjuntural nos indicadores econômicos, até aqui, e a inserção de grandes valores financeiros, como o FGTS /Inativos, PIS/Pasep e o próprio 13º salário. Algo já apontado pelo Natal, quando os campineiros consumiram 3,55% a mais que o Natal de 2016, que representou, por sua vez, (-2,50%) abaixo do que no Natal de 2015.

As vendas do Varejo em Campinas em dezembro de 2017 cresceram 12,07% sobre as vendas de dezembro de 2016.  Essa alta elevação, credita-se a contabilização das vendas virtuais (e-commerce) que representaram 8,50% sobre as das lojas físicas do comércio varejista de Campinas, o que trás uma elevação igualitária de 3,29% sobre as vendas de 2016.  As vendas de janeiro a dezembro de 2017 movimentaram R$ 15.173,2 bilhões, aí, computadas as vendas virtuais, cerca de 2,31% acima dos R$ 14.830,5 bi de 2016.

Verifica-se que em Campinas houve uma procura maior em vendas ao crediário, 2,45%, que em vendas a vista 1,52%, havendo uma facilitação ao uso do crediário.

As vendas do Varejo na RMC, seguindo a mesma performance de Campinas, cresceram 12,06% sobre as vendas de dezembro de 2016.  Essa alta credita-se, também, ao efeito do e-commerce, que propiciou uma elevação igualitária de 2,61% sobre as vendas de 2016.  As vendas de janeiro a dezembro de 2017 movimentaram R$ 36.123,6 bi, já computadas as vendas do e-commerce, cerca de 1,86% acima dos R$ 35.465,6 bi de 2016.

A inadimplência, tanto em Campinas como na RMC, demonstrou uma redução de (-69,93) em relação a novembro de 2017, e uma elevação de 61,24% em dezembro de 2016.

No acumulado do ano (janeiro a dezembro) de 2017 houve uma elevação de 1,78% nos números dos documentos não pagos e vencidos há mais de 30 dias, no período.

O valor da inadimplência acumulada no ano (janeiro a dezembro) de 2017 em Campinas atingiu cerca de R$ 157,7 milhões, correspondendo a 219.014 contas.

Na RMC, o total da inadimplência acumulada no ano (janeiro a dezembro) de 2017atingiu cerca de R$ 375,5 milhões, correspondendo a 521.462 contas.

Diante esses números, podemos afirmar que apesar da crise que atinge a nossa economia, as vendas varejistas fecharam no azul em Campinas, 2,31% e na RMC, em 1,86%.  As perspectivas para o novo ano continuam positivas na recuperação dos dados macroeconômicos, com PIB crescendo em 1,0% em 2017 e até em 2,8% em 2018, inflação em 3,0%, Selic em 7,0% a.a., com juros em baixa, emprego em ascensão lenta, mas positiva e os principais índices de confiança em alta, dão suporte para um bom ano de 2018, para o Comércio e Serviços.

O “ponto nevrálgico” fica por conta do ano eleitoral, que pode afetar essa melhoria.

 

IMC = Indicador de Movimento do Comércio

ICH = Indicador de Consultas de Cheques

INA = Estimada a partir de Novembro/2015 (*)

 

 

 


Laerte Martins| Laerte Martins, ACIC

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados