http://atualiza.acicampinas.com.br/ADMblog/thumbs/174.jpg
Laerte Martins
Laerte Martins
Economista da ACIC

Greve dos caminhoneiros retrai varejo de maio

Os números do SCPC mostram que em maio de 2018, as vendas ficaram (-4,76%) abaixo das vendas de maio de 2017, mas ficaram, apesar disso, 10,36% acima de abril de 2018.

Apesar das vendas do “Dia das Mães” apresentarem uma movimentação de 2,80% superior ao “Dia das Mães” de 2017, o fechamento total do mês sofreu um impacto inesperado da crise de combustíveis, que provocou essa queda de quase (-4,80%), que se tornou a menor taxa de redução desde maio de 2016.

Especificamente a crise se iniciou em 21 de maio até 31 de maio, com a greve dos caminhoneiros, que motivou um impacto de mais de R$ 210,0 milhões só no comércio campineiro, além de provocar uma crise no abastecimento de Bens e Serviços, bem como, no abastecimento de combustíveis, influenciando toda a logística e a lei da oferta e procura, que sem dúvida, afetou os índices de preços para patamares muito elevados, com reflexos para a expansão da inflação em maio e junho próximo.

Destaca-se ainda, a participação do e-commerce, que foi de 3,50% sobre as vendas físicas, o que representou um acréscimo de 11.247 consultas.

Tanto as vendas a prazo que se retraíram em (-2,86%), e as vendas a vista em (-6,71%), foram as responsáveis pela queda de (-4,76%) nas vendas totais.

Finalmente, as vendas de maio de 2018 movimentaram em Campinas, cerca de R$ 1.163,3 bilhão, um impacto de (-1,50%) em relação ao R$ 1.180,9 bi de maio de 2017.

Na RMC, as vendas atingiram R$ 2.803,1 bi em maio e 2018, uma redução de (-0,31%) sobre as vendas de maio de 2017.

A inadimplência apresentou em maio de 2018, em Campinas, uma elevação de 33,61% em relação a abril de 2018, e 11,27% em relação a maio de 2017.  No período janeiro a maio, a elevação foi de 1,20%, com 83.3255 carnês / boletos vencidos e não pagos há mais de 30 dias, representando cerca de R$ 60,0 milhões.

Na RMC a inadimplência também apresentou uma elevação menor que de Campinas de 1,02% em maio de 2018, com 198.110 carnês / boletos vencidos e não pagos, representando cerca de R$ 142,6 mi no endividamento dos consumidores da RMC.

Na avaliação do varejo no período janeiro a maio de 2018, contra o mesmo período de maio de 2017, o volume de vendas em Campinas cresceu 0,64%, e na RMC elevou-se em 0,90%, pequenas expansões que refletem o impacto negativo da greve dos caminhoneiros na economia da região.

Diante desses números, a expansão que se observa até aqui, em maio houve uma forte retração frente à crise, na perspectiva de crescimento nos indicadores econômicos, que sofrerão alterações negativas, nos indicadores de Confiança, bem como da inflação, das taxas de juros e câmbio, que atinge valorizações elevadíssimas nunca atingidas antes, mais de R$ 4,00 para US$ 1,00.

O comércio varejista deverá se preparar para novos tempos difíceis, com muita criatividade e expertise, a espera do resultado do pleito eleitoral deste ano.

Serviço Central de Proteção ao Crédito - SCPC
Avaliação Mensal - Maio/2018

Vendas de Maio


Laerte Martins|

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados