http://atualiza.acicampinas.com.br/ADMblog/thumbs/72.jpg
Jarib B D Fogaça
Jarib B D Fogaça
Diretor Adjunto na ACIC, sócio na JFogaça Assessoria e conselheiro independente.

A gestão de pessoas nos negócios

“Ter as pessoas certas no lugar certo - o trabalho que nenhum líder pode delegar”, conforme Larry Bossidy e Ram Charan, no livro “Execução. A disciplina para conseguir resultados”.

Se vamos falar da gestão de pessoas, vamos começar pela gestão de nós mesmos. Delegar é uma arte e como tal precisa ser constantemente aprendida, reaprendida, aperfeiçoada.  Delegar é algo próprio, não se delega a função delegar.

A gestão de pessoas está intrinsicamente associada à arte de delegar. E chamo delegar de arte pois estamos tratando de seres humanos com cultura, comportamento e vontade próprias, tal como cada um de nós.  Portanto, contarmos com o trabalho de alguém em prol da organização, do nosso negócio como um todo é algo nobre, não importa o quanto cada um de nós está sendo remunerado. E da mesma forma, a gestão de pessoas tanto é uma arte como algo nobre que devemos fazer com maestria.

Ter as pessoas certas no lugar certo, então, também é uma arte.  Muitos dos quadros famosos, das músicas - tanto a melodia quanto a letra, e assim por diante, têm algo artístico. Podemos notar que os elementos de composição artística são os mesmos, nos quadros temos as cores, na melodia temos as notas musicais e na letra temos as palavras.  Todos esses elementos estão à disposição de todos nós, mas apenas alguns conseguem compô-los de tal forma que tenhamos harmonia, beleza e que produza resultados causando sensações em cada um de nós.

E vamos além, como cita o livro acima mencionado, no ambiente de negócios, há muitos elementos que as empresas não conseguem controlar. A situação econômica mundial e seus reflexos na economia dos países e nos respectivos setores produtivos é incerta tanto quanto são imprevisíveis as ações dos concorrentes e dos consumidores.  As pessoas de uma organização são o recurso mais confiável que se tem, e que pode gerar resultados excelentes, ano após ano. A experiência, habilidade e opinião de cada uma dessas pessoas na organização pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso.

A gestão de pessoas é uma atividade de longo prazo, desde a contratação, o desenvolvimento e a promoção até que esses profissionais preencham as necessidades de liderança na organização. Mesmo com toda visibilidade que se tem dado ao fator humano nas organizações, ainda notamos que muitas das preocupações dos líderes têm sido decorrente de fatores externos. Em momentos de bonança, esses líderes estão buscando tornar suas empresas maiores e mais globais do que as dos concorrentes, sem considerar que a qualidade do seu pessoal é o fator de maior vantagem competitiva que se pode ter.  Mesmo e inclusive, em momentos de aquisição, essa vantagem competitiva se torna fundamental, ter as pessoas certas nos lugares certos. 

A importância de se ter as pessoas certas nos lugares certos, é muito grande.  No livro “Execução. A disciplina para conseguir resultados”, os autores identificam como fundamentais os três processos-chave de uma organização, sendo eles:  Estrutura (que no livro se denomina Operações), Estratégia e Pessoas (no livro denominado Pessoal). Note-se que o processo de “Pessoas” é o mais importante deles, pois é nele que nascem as melhores estratégias e é por meio dele que se faz a gestão da estrutura. Um processo de pessoal inclui três elementos: a avaliação de pessoas de forma apropriada, precisa e profunda; um modelo de identificação e desenvolvimento de talentos; e o plano [pipeline] de sucessão e liderança de forma contínua e sólida.  Se o processo de pessoal não funcionar, nunca se realizará o potencial total do respectivo negócio.

Então por que as pessoas certas não estariam nos lugares certos? Provavelmente a começar pela falta de informação. As organizações não sabem o suficiente sobre as pessoas, seu histórico profissional e de realizações concretas ao longo do tempo. Se tais realizações estão alinhadas com os propósitos de negócios, seja na relação com fornecedores, seja na relação interna pessoal e profissional, ou mesmo na relação com clientes. Percepções precisam ser verificadas e validadas ao longo do tempo com resultados alinhados com as expectativas e dentro dos propósitos da organização.

Alguns elementos fundamentais na gestão de pessoas que devem ser considerados:

-Ligar as pessoas à estratégia e à estrutura (operações). Um dos elementos fundamentais de gestão de pessoas é ligar as pessoas aos marcos estratégicos de curto, médio e longo prazos da organização. Essa conexão é fundamental para o desenvolvimento, crescimento e consolidação de qualquer organização ao longo do tempo, inclusive, no alinhamento dos resultados com as expectativas e os propósitos da organização;

-Ligar a área de Recursos Humanos aos resultados do negócio. A área de RH precisa estar integrada aos processos-chave da organização, a começar pelo processo de pessoas, tão importante quanto aos processos de estrutura (operações) e estratégia. A conexão do treinamento, desenvolvimento e desempenho das pessoas deve ser promovida, mantida e gerida pela área de RH, como suporte para a liderança no processo de movimentação e promoção de pessoal, continuamente.

-Ligar a liderança ao desempenho de seu pessoal. Quando as pessoas certas estão nos lugares certos e, consequentemente, a informação sobre os indivíduos é coletada constantemente, os líderes conhecem as pessoas, como elas trabalham e produzem resultados, então a organização pode aspirar voos mais altos.

 

Todas essas ações de gestão de pessoas precisam estar bem fundamentadas, seja para promovê-las, movimentá-las, ou mesmo demiti-las, caso necessário.  E, dessa forma, a gestão de RH tem que ter papel fundamental na gestão de pessoas em qualquer organização. Como comentam os autores Larry e Ram em seu livro, se uma organização tem indivíduos com comportamento apropriado, uma cultura que recompensa a execução e um processo coerente para colocar as pessoas certas nos lugares (funções) certos, essa organização já tem a base necessária para operar cada um dos processos de forma efetiva.


Jarib B D Fogaça| ACIC, Acicampinas, blog, coluna, Jarib-Fogaça, gestão, negócios, disciplina

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados