Varejo de novembro tem pequena expansão em Campinas e Região
Laerte Martins
Laerte Martins
Economista da ACIC

Varejo de novembro tem pequena expansão em Campinas e Região

Os dados do SCPC de novembro indicam que as vendas no comércio varejista de Campinas e região, cresceram 8,31% sobre as vendas de outubro, e uma expansão de 1,20% sobre as vendas de novembro de 2017.

Apesar do mês de novembro apresentar menos três dias úteis, com feriados, observa-se que o comércio expandiu em 8,31% sobre as vendas de outubro, mas foi o evento da Black Friday, no final de novembro, que provocou esse aumento sobre outubro, compensando as perdas com a redução nos dias úteis.

Em relação às vendas de novembro de 2017, o efeito foi bem menor e a movimentação se elevou em 1,20% com a venda à vista, se retraindo em (-3,56%), apesar das vendas a prazo, terem se elevado em 3,14%.

A participação do e-commerce ficou em 9,10% sobre as vendas físicas da região, correspondendo a 80.413 consultas, equivalendo a R$ 291,9 milhões.

A inadimplência em Campinas apresentou uma elevação de 93,29% sobre outubro de 2018 e uma redução de (-4,47%) sobre novembro de 2017.

No acumulado do ano, janeiro a novembro a evolução foi de 1,69% abaixo dos 2,00% do acumulado janeiro a outubro, demonstrando que ficaram 218.577 carnês/boletos não pagos a mais de 30 dias, representando cerca de R$ 158,1 milhões no endividamento dos consumidores de Campinas.  Na RMC, a inadimplência apresentou, também, uma elevação de 1,69% (janeiro a novembro) de 2018, com 522.802 carnês/boletos vencidos e não pagos a mais de 30 dias, que representa R$ 392,1 milhões no endividamento dos consumidores da RMC.

Os números do Varejo em novembro demonstram que, apesar de uma pequena melhora, implica em dizer que após o pleito eleitoral de outubro, já demonstram uma alteração positiva no nível de confiança dos empresários e consumidores, bem como, na melhoria de indicadores econômicos da Bolsa de Valores, câmbio, juros e inflação, e até na melhoria do PIB deste ano, de 1,50% para 2,0%/2,5% para 2019.

Diante dessas premissas, teremos uma boa elevação para as vendas do Natal, que deverá se expandir entre 5,00%/5,50% sobre as vendas de Natal do ano passado, que ficaram em 2,50% sobre o Natal anterior.

IMC = Indicador de Movimento do Comércio
ICH = Indicador de Consultas de Cheques
INA = Estimada a partir de Novembro/2015 (*) 

 


Laerte Martins|

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados